O fim da Melody Box

É pessoal. Acho que a Melody Box “subiu no telhado”.

Lançada no ar em meados de 2009 de forma “fechada” – apenas pra alguns artistas, incluindo o Bleffe – a Melody Box surgiu como uma boa alternativa para os músicos e bandas independentes, e também para seus fãs.

“A Melody Box é uma rede social onde artistas, fãs e profissionais da indústria da música se encontram para aquecer o mercado e ajudar novos talentos a se desenvolverem, apresentando uma alternativa ao tradicional modelo de comercialização.

O projeto converge o poder de comunicação da internet com as relações comerciais e afetivas entre artistas, fãs e profissionais do setor, trazendo para um único ambiente todos aqueles que fazem, ouvem e trabalham com a música, encurtando a distância entre eles.”

Com essa filosofia, a rede social de música realizou eventos pelo Brasil, deu a chance para os artistas serem conhecidos por um número maior de fãs, patrocinou projetos apresentados pelos artistas, e, como produtora, agenciou alguns artistas.

Além disso, lançaram o Somm, um serviço de “rádio móvel” onde o usuário poderia ouvir as mais de 150 mil (segundo a própria “MB”) músicas de artistas independentes e também artistas “mainstream” no seu smartphone ou tablet gratuitamente.

Acontece que há mais ou menos 15 dias o site está fora do ar, bem como os sites dos artistas agenciados, e suas principais redes sociais não recebem updates desde 28 de Setembro.

Veja o Facebook da Melody Box;

Veja o Twitter da Melody Box;

Veja (ou tente) o Site da Melody Box;

Desde então nenhum aviso ou Comunicado Oficial foi emitido pela Melody Box.