Sobre mim

Olá pessoal. Meu nome é Christian. Nasci no dia 13 de Abril. SEXTA, 13 de Abril.

Em 1987 meu amigo Marcelo me mostrou uma música de uma banda chamada Legião Urbana. Eu ainda não me ligava muito em música (apesar de meu pai ser cantor e compositor, e dos bons), mas, ao ouvir aquela música, alguma coisa aconteceu comigo.

Ela tinha mais de 9 minutos de duração e se chamava “Faroeste Caboclo”.

No final de 1990, passei no concurso pra Escola de Aprendizes Marinheiros. Em Janeiro de 1991 fui pra unidade do Espírito Santo, na cidade de Vila Velha.

Durante esse ano participei da banda de rock da “EAMES” (Escola de Aprendizes-Marinheiros do Espírito Santo). O que eu fiz pra entrar na banda? Eu tinha um caderno de 10 matérias cheio de letras de artistas e bandas que eu gostava. Só. Mal sabia o que era cantar, ritmo, essas coisas…

Mas, no final daquele ano, um baque: eles só manteriam na banda quem soubesse tocar um instrumento. Como eu não tocava…dancei.

E é aí que a palavra autodidata começa a fazer parte da minha vida.


Em Janeiro de 1992, desci até a banca de jornal da esquina da Rua Inobi (Irajá – Rio de Janeiro), comprei umas revistas de cifras, peguei o violão do meu pai, inverti as cordas (sim, sou canhoto), e comecei a aprender a tocar…de forma autodidata.

Só que um dia meu pai chegou em casa com vontade de tocar seu violão e não conseguiu. Afinal, como eu disse, eu tinha invertido as cordas.

Eu não me rendi. Com as cordas “ao contrário”, comecei a aprender assim mesmo. Nem sabia que o Edgard Scandurra também tocava assim e achava super bizarro. Mas eu tava muito afim de aprender. E continuei.

Naquele mesmo ano nos mudamos pra Itaipuaçu, Distrito de Maricá. Em Junho eu já conseguia tocar algumas músicas e comecei, nos fins de semana de folga da Marinha, a tocar nos bares por lá. Em 02 de Fevereiro de 1994, “dei baixa” da Marinha.

Isso virou uma rotina até que, no final de 1996, o Juliano (que eu antes só conhecia como “Paulista”) me chamou pra tocar numa banda que ele tava afim de montar. A gente tocava as músicas que gostava, do Legião, Raimundos, Barão Vermelho, etc…

Até que, na virada do ano 1996 pra 1997 a gente combinou: “Vamos compor uma música?”. E marcamos de, assim que acordássemos, nos encontrarmos pra isso.

Só que, por um desses caprichos do destino, eu não apareci na hora marcada. Juliano então sentou sozinho, e compôs “Imagem Sobre o Teto”.

Quando ouvi essa música (UAU!!), me senti também incentivado a escrever. E assim, de forma autodidata, virei compositor.

No final de 1997 conheci o Waldeir. Ele já era compositor, e, lendo minhas letras (eu já tinha escrito um monte, mas não levava a menor fé nelas), começou a “musicar” algumas.

Eu disse uma vez pra ele: “Pô, cara, como eu vou conseguir escrever algo legal se, na minha concepção, o Renato Russo foi “definitivo”?

Ele respondeu: “Filho, cada um escreve de uma forma. Escreva da sua. Confie.” – Foi marcante pra mim.

A partir dali, eu comecei a mandar tudo o que eu escrevia pra ele. E uma das primeiras que ele colocou música foi “Visão do Amor”.

Depois resolvemos fazer as músicas juntos. E a primeira foi “Quase Duas”.

De repente, aparece lá em casa um garoto que tocava teclado, ficou sabendo que eu e Waldeir estávamos escrevendo músicas e queria participar. Era o Daniel. Era a primeira formação do Bleffe. Era Novembro de 1997.

Em 1998 gravamos um EP com 5 faixas, o “Será que é isso mesmo?“.

Em 2002 a formação do Bleffe mudou, e resolvemos encarar a “bronca” de forma mais séria.

Depois de muito ouvir, compor, e receber composições de amigos (Juliano e Ivson Gomes eram os que mais enviaram canções), resolvemos, em Março de 2004, começar a trabalhar na gravação do nosso primeiro CD. Demorou, porque usávamos as horas vagas do estúdio do baterista e do guitarrista que tocavam na banda na época, mas, finalmente, em Dezembro de 2005, terminávamos a gravação de “Viagens”. Em Janeiro de 2006 as cópias chegaram e em 25 de Maio fizemos o show de lançamento.

Mas naquele mesmo Maio de 2006 eu conheci a Vanêssa, através do Orkut (sim, ele). Faltavam 3 semanas pro lançamento do CD e ela, que produzia eventos em Além Paraíba (MG, mas eu achava que era no interior do RJ), convidou o Bleffe pra fazer uma “presença VIP” (putz!), no aniversário de uma cantora famosa na cidade.

Eu e mais um integrante fomos. E lá, eu e Vanêssa acabamos “ficando”. Uma semana depois, voltei a “Além…” e…”ficamos” de novo.

Em Junho eu já estava morando em Além Paraíba.

Mas…e agora? Como ficaria o Bleffe, comigo morando “longe”? (Além Paraíba está a 180 Km de distância do RJ) Não seria nada legal ($$$) ficar telefonando toda hora pros outros membros da banda pra saber as novidades, etc…

Ufa. Preciso descansar antes de continuar. Vamos ao intervalo:


Voltamos. 🙂

Então resolvi usar a internet.

E aí, comecei a descobrir algumas ferramentas pra divulgar o Bleffe. Tinha o Palco MP3, o Myspace, e…o Orkut.

E, desde então, de forma autodidata, eu venho aprendendo a tocar violão, cantar, ser técnico de computador, criar conteúdo pras redes sociais, e mais.

Em 2007 descobri o tal “blog”. Me indicaram usar o Blogspot pra contar minhas histórias e experiências. Aprendi, de forma autodidata, a usar o troço.

Em Abril de 2007 realizei um sonho, de dividir o palco com Marcus Menna, vocalista do LS Jack, já em processo de recuperação. Um lutador. Um vencedor. Um exemplo.

Em Junho de 2007 comecei a participar de debates e dinâmicas com outros membros da Cadeia Produtiva da Música do RJ, mediadas pelo SEBRAE-RJ, que formaram a Rede Rio Música, que logo depois teve o nome alterado para Projeto Estrombo.

Em 22 de Agosto de 2007 nasceu Pedro. Meu filho. Minha luz. Meu motivo.

Ainda em 2007, a cantora Maryanna Novaes gravou o CD “Elas X Elas” com uma música que fiz pra Vanêssa, “Em Vão”:

Em 2008, já com nova formação, o Bleffe resolveu lançar “singles”. O primeiro foi uma versão de “Revolution”, dos Beatles, que fez parte de uma coletânea que marcou os 40 anos no “White Album” dos “fab four”.

Em 2009 lançamos o single “Tarde Demais”, que ganhou um clipe de animação bem legal…

Nesse mesmo ano, já mais familiarizado com as Redes Sociais, fui convidado pra fazer um Workshop sobre “Redes Sociais e Música” no SEBRAE-RJ. Entre os participantes, tive a honra de contar com a presença do cantor e compositor Leoni.

Participei também do Fórum da Cultura Digital Brasileira, em São Paulo (como convidado do MinC) e da Feira Música Brasil, em Recife (PE), como convidado do SEBRAE-RJ.

Depois do Workshop fui abordado por um rapaz. O nome dele? Bruno Francesco. Nos tornamos amigos, e, em 2011, fundamos a Walktok.

Em Dezembro de 2009, fui escolhido, junto com outros 31 colegas da Cadeia Produtiva da Música do RJ, pra cursar o Empretec, o maior curso intensivo sobre empreendedorismo desse planetinha azul, criado pela ONU.

No final de 2010 fui apresentado ao WordPress, um novo jeito de fazer blogs, sites, e muito mais. Dessa vez, não foi 100% autodidata o aprendizado. Contei com a ajuda do Bruno e do Gabriel Subtil.

Em 2012, o Bleffe lança, de forma 100% colaborativa, o single “50 Graus”:

Em 29 de Janeiro de 2012, junto com Vanêssa, Guto Lacerda (in memorian) e Marquinho Moreira, fundo o Grupo do Facebook “De Olho em Além”, com o intuito de reunir reivindicações e demandas da cidade de Além Paraíba. Hoje o grupo reúne quase 10.000 membros e recebeu, em Outubro de 2014, o título de Patrimônio Cultural de Além Paraíba.

de olho em além patrimônio cultural

Em 2013, o Bleffe lança o “combo” CD e DVD “Bleffe – 10 anos, gravado no Cine Teatro Brasil, em Além Paraíba-MG:

Também em 2013 conheci, em Além Paraíba, a Amanda. Ela é Jornalista. Um dia, papeando com a Mima Caro , ela sugeriu:

“Pôxa, porque você não monta um jornal aí em Além Paraíba?” – E não é que era uma boa ideia?

Chamei a Amanda aqui em casa, e…em Outubro de 2013, fundamos o Jornal “De Olho em Além”. Depois ele mudou de nome: agora é “Mais Além”, com o slogan: “Porque somos. Porque vamos.”

Ahhh…acabei virando também repórter, editor, e diagramador, sabe como, né? De forma autodidata.

( Em Agosto de 2014 a Amanda recebeu outra proposta de trabalho e acabou deixando o Jornal. Como fazer jornal sem jornalista? Aí não dá, nem sendo autodidata, né? Mas eu sigo postando algumas notícias no site. )

Em 2013 comecei meu aprendizado na elaboração de projetos pra captação de recursos através das Leis de Incentivo à Cultura. Dessa vez também não foi de forma autodidata. Aprendi com o André Borges.

Tive um projeto bem legal aprovado na Lei Estadual de Incentivo à Cultura de MG: Chris Gar – Música na Escola. Infelizmente, não consegui captar.

Em Março de 2014, lancei a primeira música da minha carreira solo, “Por Aí”…

…e retomei, com força, meu projeto de Voz e Violão, parado há tantos anos. Dá uma olhada na Agenda. Contrate!!

Em Abril de 2014 iniciei, junto com outros agentes culturais, a militância para a criação de um Fundo Municipal de Incentivo à Cultura. O Vereador Thiago Sabino abraçou a causa, e, no Dia 25 de Setembro de 2014, a Lei foi sancionada pelo Prefeito.

Em Setembro, aprovei um projeto na Lei Rouanet. É. Não rolou a captação. É realmente difícil.

Em 2015, aconteceram coisas legais:

Em Fevereiro assumi o posto de Assessor Legislativo do Vereador Thiago Sabino, que entre outras ações, apresentou Projeto de Lei que criou o Fundo Municipal de incentivo à Cultura.

Em Agosto, estive em Juiz de Fora, na 2ª Etapa do Fórum Regional Zona da Mata, defendendo um olhar mais atento por parte do Governo Estadual para a Cultura no microterritório capitaneado por Além Paraíba. Saiba mais sobre o que aconteceu no Fórum Regional clicando aqui.

chrisgar-forum-regional

Olha eu aí, no Fórum Regional, pedindo pela Cultura.

Em 15 de Agosto de 2015, nasce Marina, minha filha. Mais uma benção. Mais luz. Mais motivos.

No dia 28 de Setembro, fui agraciado com o Título de Cidadão Honorário de Além Paraíba pelo Vereador Thiago Sabino. Um dia marcante na minha vida, que jamais fugirá da minha memória. Tenho orgulho de dizer que agora também sou alemparaibano. Toda a militância pela Cultura de Além Paraíba – militância essa que continua – não foi em vão.

Jpeg

Disseram que eu não podia falar. Mas eu falei…

Um orgulho. Uma honra. Inesquecível.

Estou participando do Movimento Além nos Trilhos, que visa a recuperação da Locomotiva 51, Patrimônio Cultural de Além Paraíba-MG.

Em Maio de 2016 estive presente no Fórum Técnico do Plano Estadual de Cultura – Etapa Regional Cataguases, sem NENHUM APOIO da Prefeitura de Além Paraíba. Lá, tive a oportunidade de estreitar contatos, inclusive com o Secretário Estadual de Cultura, Ângelo Oswaldo, e falar das demandas da cidade para a Cultura. Na oportunidade, fui eleito delegado, para representar a região no Fórum Estadual, que aconteceu em Belo Horizonte, entre 8 e 10 de Junho de 2016. Lá estive com André Martins Borges, representando Além Paraíba e a Região da Zona da Mata, mais uma vez, sem qualquer apoio da Prefeitura local.

Também em Junho de 2016, depois de muita luta e discussões com representantes da PMAP, foi publicado o Edital do Fundo Municipal de Cultura. Acreditávamos que seria uma vitória, mas os termos do Edital eram totalmente confusos, e resultaram na confusão que você pode conferir clicando AQUI.

Entre Maio e Outubro de 2016 fiz parte do grupo de mídia da campanha eleitoral dos candidatos Sérgio Ribeiro e Pablo Borges. Atuei na administração da página do Facebook e fotografei as caminhadas dos candidatos.

Em Setembro de 2016, mais um daqueles fatos pra ficar pra sempre: Fui agraciado com a Comenda do Mérito Mercadante, a mais alta condecoração outorgada pela Câmara Municipal de Além Paraíba. O autor da indicação foi o Vereador Reginaldo Câmara Estevanim.

comenda_mérito_mercadante_chris_gar

Comendador Chris Gar 😉

comenda_mérito_mercadante_chris_gar

MUITO obrigado!!

Ainda tenho mais pra aprender. desafios serão sempre bem vindos.

Aqui, no meu blog, falo de Redes Sociais, Música, e também de “amenidades”, até porque, ninguém é de ferro, né? rs.

Ahhhh…eu tô gravando uns vídeozinhos. Dá uma olhada:

Muito bom ter você aqui. Volte sempre!!

Saiba muito mais sobre o Bleffe visitando o Site Oficial e também sobre minha carreira solo, no meu site.

Saiba mais sobre minha caminhada profissional visitando meu Linkedin.